instituto projetos ambientais, em revista

Questões no desafio a bons projetos ambientais


A proposta, desenvolvimento e exequibilidade de um 'Projeto Ambiental' esbarra sempre na necessidade de estudos contínuos e alinhamento entre a equipe técnica. Na atual realidade ainda são grandes os desafios de se implementar um bom projeto ambiental. Algumas proposições são enumeradas, para auxiliar sugestivamente nossos leitores, indo à melhoria em projetos de sucesso.

1) a qualidade do projeto = Um concreto projeto ambiental precisa estar situado na sua função diante dos conceitos e legislação. A que se propõe? Ou seja, um sério e criterioso projeto ambiental requer sólida equipe e compromissada coordenação, ao propósito do objetivo do mesmo. Se é um Estudo de Impactos Ambientais, um Plano emergencial de ações, um Licenciamento ambiental, ou ainda um Projeto de pesquisa, acadêmico, um Plano de manejo agroecológico, um Plano de gerenciamento dos recursos hídricos, entre outros. O objetivo do projeto e o grupo de trabalho estarem coesos à exequibilidade e metodologia de ações. Isto é fundamental.

2) tratar as interações com os órgãos ambientais = Infelizmente a questão ambiental ainda não encontra sintonia de eficiência nos respectivos órgãos ambientais. Isso varia de região para regiões, assim como das características de funções nos órgãos ambientais. Nota: é oportuno destacar que a educação, a saúde, a segurança também são ineficazes em muitas realidades. Por isso tratar o tema ambiental como um desafio é tão atual quanto. Logo, durante o desenvolvimento de um projeto ambiental, é necessário prever uma logística, tempo, assim como um 'coeficiente de segurança' em prol do objetivo ambiental. Produzir documentos compatíveis às interfaces com os organismos ambientais vigentes.

3) rever conceitos e paradigmas = a maioria das escolas de graduação em meio ambiente são muito novas, com planos pedagógicos e de trabalho desconhecidos. Assim, aprofundar os elementos de um projeto em suas diretrizes conceituais é oportunamente necessário. Da mesma forma, interpretar devidamente os instrumentos legais e associá-los ao escopo do projeto. Definir adequadamente como será feito o diagnóstico, indicadores utilizados, formas de levantamento de dados e equipamentos e metodologias com respaldo técnico e científico.

4) a comunicabilidade = etapa fundamental e mormente falha em projetos. Um dos grandes avanços da legislação ambiental é justamente preconizar a 'gestão participativa' - envolvimento dos distintos segmentos das comunidades. Dar garantia, usar métodos corretos, produzir informações acessíveis e divulgar o projeto em linguagem própria aos segmentos que se está direcionando. Há quem diga que se um projeto ambiental não funcionou é porque não houve um bom processo de comunicação.

Estes são alguns pontos estratégicos para, enquanto profissional, estar atento na concepção de projetos ambientais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário